De tudo um pouco

Divagações, opiniões, reflexões, livre-pensar…

O caso Isabella Nardoni

Posted by Marcelo Dutra em terça-feira, 15 abril 2008

Estamos mais uma vez vivenciando um caso de violência desmedida. Uma garota de 5 anos, no dia 29 de março, foi espancada e atirada da janela do apartamento onde morava. Os assassinos presumivelmente são os pais (pai e madrasta), segundo pode-se inferir a partir do que se vê e ouve pela mídia e pelas pessoas em geral. Mais uma vez, como sempre acontece em casos semelhantes, a ocorrência transforma-se em novela, folhetim, onde todos aguardam o dia fatídico para responder à pergunta: quem matou Isabella Nardoni? (qualquer semelhança com “quem matou Odete Roitman” é mera coincidência).

Tenho a nítida sensação que não estão buscando “o” culpado, mas sim “um” culpado. O mais óbvio, o mais provável, até por não se ter até o momento encontrado solução melhor, é culpar logo o casal, pois desssa forma a vida de todo mundo fica facilitada. Para a mídia é garantia de alta audiência, significando ótimo faturamento. Para a polícia pode significar competência por desvendar crime tão misterioso e massagear o ego dos delegados e investigadores, tão carentes de exibir suas vaidades. Para o povo em geral pode significar a expiação de um pecado ou a imputação a uma determinada pessoa de uma culpa por um crime que muitos já se sentiram tentados a praticar no mais íntimo do seu inconsciente (já li algo sobre isso).

Como numa novela de verdade, os capítulos são diários, mais que isso, são várias vezes por dia. Mobilizam-se apresentadores de televisão, advogados, delegados, policiais, juízes, promotores de justiça, peritos criminais, especialistas em segurança, psicólogos, psicanalistas, professores de Direito e pessoas comuns, cada um dando sua opinião, a maioria condenando o casal, todos, enfim, alegando que estão contribuindo para esclarecer a opinião pública, mas que na verdade estão contribuindo mesmo para a manutenção do espetáculo.

E os acusados, como ficam? isso parece ser irrelevante. A dor pela perda da filha pouco significa. A destruição antecipada de sua vida normal nada vale. É apenas um detalhe. Como perus na noite de Natal, morrem de véspera.

O fato é que de concreto até agora nada temos. As tão esperadas provas periciais demoram e não aparecem. O princípio básico e elementar de preservação da cena do crime não foi respeitado. A perícia voltou 7 vezes à esta cena e afirma que voltará quantas vezes for necessário. Mas novos elementos podem ter sido colocados ou retirados pela violação do local, até mesmo de forma não intencional. A defesa pode e provavelmente vai usar este fato para desqualificar as provas, se houver um julgamento. E qual seria a real motivação para os acusados terem praticado ester crime?

Não tenho procuração para defender ninguém, mas acho que as autoridades competentes poderiam trabalhar mais caladas e de forma mais eficiente, não se dobrando à pressão da sociedade e da mídia e respeitando todos os procedimentos recomendados a uma boa investigação. Nenhum detalhe pode ser despercebido ou descartado. Se ninguém viu o crime é necessário alguma prova conclusiva para condenar alguém. Especulações ou meras possibilidades não valem. Pode até ter sido o casal, mas até que seja julgado e condenado deve ser considerado inocente. Isto é princípio básico do estado democrático de direito, o que para muitos nada significa.

Como dizia minha avó, prudência e caldo de galinha não fazem mal a ninguém.

Abraços…Marcelo
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons

3 Respostas to “O caso Isabella Nardoni”

  1. Ritinha said

    Oi Marcelo,
    o caso da Isabella é terrível e é mais um… Já chorei tantas vezes que estou evitando assistir as noticias. Acredito que os responsáveis são eles: o pai a madrasta. Que mundo é esse ?
    beijo da Ritinha

  2. Marcelo Dutra said

    Pois é, Ritinha
    É apenas mais um caso. Tantos outros estão ocorrendo, mas toda a publicidade concentra=se neste. Não estou fazendo julgamento. Também acho que há grande probabilidade de ter sido o casal. O que estou condenando é a divulgação excessiva, o sensacionalismo, a condenação prévia e o cerceamento do direito de defesa.
    Abraços…Marcelo

  3. igordutra said

    Tio Marcelo estou totalmente por fora do caso Isabella, mas já atualizei o endereço do blog novo la no meu blog. Um abração, igor

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: