De tudo um pouco

Divagações, opiniões, reflexões, livre-pensar…

Um pouco de política… (ou sociologia)

Posted by Marcelo Dutra em quinta-feira, 13 abril 2006

Os números da última pesquisa Datafolha são intrigantes. A reportagem estava no site da Datafolha. Mais do que político, o fenômeno é sociológico, e está deixando os sociólogos de orelha em pé. Porquê?????

Incrível. A pesquisa Datafolha vai deixar a oposição maluca.
Para quem não leu a pesquisa, o resultado é o seguinte, já comparando com o levantamento anterior:
………………… ………………..16-17.mar…………6-7.abr
Lula……………………………………42%…………………40%
Alckmin……………………………….23%…………………20%
Garotinho…………………………… 12%…………………15%
Heloísa……………………………….. 6%………………… 5%
Enéas…………………………………. – ………………….. 3%
Rob.Freire……………………………. 3% ……………… 1%
Eymael………………………………. 0% ………………. 1%
B/N/N.S. …………………………… 13%………………. 15%

E nada de Lula despencar. Fracassa discurso de corrupção contra Lula; tucanos podem ir de Serra, o plano B.

A pesquisa Datafolha deste fim de semana emite 3 sinais claros para esta fase inicial de campanha: 1) Lula não cai se depender das acusações de corrupção; 2) Alckmin não sobe só com o discurso de bom-moço-síndico-de-prédio-eficiente; 3) Garotinho será um osso duro de roer para a cúpula governista-lulista do PMDB.
No que mais importa para a oposição: não adianta ficar atacando o governo federal apenas no plano ético e moral. O discurso recheado de acusações de corrupção não está pegando contra Lula. PSDB e PFL parecem ainda não terem percebido que o problema é o mensageiro, não a mensagem. Pefelistas e tucanos acusarem o PT de falta de cuidado com a ética tem sido pouco para os eleitores. É evidente que existe gente de bem em todos os partidos, mas a imagem de PSDB e PFL nos anos anteriores ao governo Lula não foi, vamos concordar, a melhor possível no plano federal.
Ainda é cedo, mas só se fala em uma coisa nas hostes tucanas: se até o final de maio Alckmin não decolar para valer, ficará insuportável a pressão para que José Serra troque a candidatura ao governo paulista pela disputa ao Palácio do Planalto.

É evidente que já houve tempo suficiente para que o caso do caseiro e os efeitos da pizza da não-cassação de mensaleiros atingissem Lula. Só que o petista simplesmente oscilou dentro da margem de erro da pesquisa, que é de 2 pontos percentuais. Ficou no mesmo lugar.
Há meses os partidos de oposição gastam seus minutos na TV para dizer que o governo de Lula é incompetente e corrupto. Mais corrupto do que incompetente. O PFL fez aquele comercial das peças de dominó desenhadas com as caras de petistas caindo, um a um (aliás, essa propaganda é de uma indigência intelectual de dar dó). Com todo esse arsenal mirando para o Palácio do Planalto, a imagem de Lula saiu quase sem nenhum arranhão.
Já Geraldo Alckmin está no noticiário há tempos como o candidato tucano a presidente. Não pode reclamar de que não tenha mídia. E, por incrível que pareça, caiu na pesquisa.
A propósito, será necessário analisar muito bem a pesquisa divulgada pelo Ibope há poucos dias, na qual Alckmin disparava em São Paulo. Tomando-se como fato esse dado, é possível que a queda do tucano então tenha sido mais dramática no restante do país (os 3 pontos de queda nacional poderiam ter sido muito mais, mas ficou só nisso porque talvez tenha ocorrido uma compensação pela melhora em território paulista).
No caso de Anthony Garotinho, o fenômeno ainda precisa ser mais bem explicado. O pré-candidato do PMDB vem sofrendo ataques especulativos de todos os lados. Orestes Quércia lançou Itamar Franco para presidente. Na cúpula peemedebista, todos tramam para derrubar Garotinho. Nos telejornais, o ex-governador do Rio é sempre apresentado como um azarão, que pode nem ser candidato. Em meio a todo esse clima ruim, ele avançou 3 pontos, quase encostando no tucano Alckmin.
Ficará cada vez mais difícil para a cúpula do PMDB derrubar a candidatura de Garotinho. A lógica manda acreditar que a sigla acabará sem candidato. Mas com a evolução do ex-governador do Rio nas pesquisas, o osso será duríssimo para ser roído.
Em tempo: sem Garotinho, fica enorme a chance de a eleição terminar no 1º turno. Hoje, daria Lula.
Segundo turno. Pouca novidade. Lula continua a ganhar de todos:

Lula 52% X 37% Alckmin
Lula 54% X 32% Garotinho

3 Respostas to “Um pouco de política… (ou sociologia)”

  1. Manu e Leo said

    Tio Marcelo, a distância, eu acho, nos faz um pouco mais céticos sobre os acontecimentos no Brasil. Aqui na Austrália há também corrupção, mas num escala incrívelmente menor. Os políticos que são flagrados são realmente punidos.

    Gostaríamos muito de ver isso acontecer por ai com o PT, PSDB, PFL ou qualquer outro partido no poder. Mas o que a gente acaba concluindo é que não interessa o partido, todo mundo rouba. Que as eleições desse ano tragam novos ares a política brasileira.

  2. Anonymous said

    Marcelo ,
    ainda estou muito confusa com tanta coisa que acontece nesse Brasil. Aqui os ” donos ” do Estado brigam entre si numa guerra sem fim. Nunca votarei em Alckmin nem em Serra , mas o Lula tem ainda um longo caminho a percorrer para acabar essa roubalheira desgraçada.
    abraço da Ritinha

  3. MARCIA said

    Marcelo querido,
    Confesso q vivo momentos de profunda angústia c td q vem acontecendo nesse país e por mais q entenda q o jogo sujo da política sórdida envenena, alimentada por uma mídia tendenciosa, e que as noticias interessam por demais a certos grupos, não posso admitir tamanha pisada de bola, em nome do poder. O partido me decepcionou sim e mtos dos q estao la ainda estao aprontando. O Lula tb vem errando com esse discurso de q nada sabia, mas eu ainda acredito q ele é bem intencionado. Posso falar de cadeira sobre algumas das ações do seu goveno,pq estou no meio do furacão do bolsa familia,e sei q temos uma politica social seria e q por mais q a midia e um monte de gente queira detonar,esse é o programa mais bem desenhado e com mais possibilidade de abrir portas para as familias em situação de pobreza espalhadas por esse brasil de meu deus. Estamos num momento mto delicado na politica nacional em q todas as instituicões estao em cheque e o descredito está generalizado. Mas a generalizaçào é burra ! Temos q saber identificar onde está e quem nào está usando mascara ou fantasia. Não é facil, na atual conjuntura, e o páreo sera muito duro
    Q continuem as pesquisas, mas nào creio q a artilharia derrube a blindagem do presidente. Na verdade nem Duda Mendonça explicaria tal fenomeno.
    Qualquer dia vou lhe enviar uns textos com resutados de pesquisas sobre o bolsa familia, entrevistas com especialistas , etc. Grande abraço, de sua mana

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: